A iniciativa de montar o primeiro presépio foi de São Francisco de Assis, em 1223, na Itália. A partir de então, a tradição de montar o presépio ganhou o mundo inteiro. No Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio, ele já pode ser contemplado no Santuário Antigo, inaugurado em 1890.

Neste ano, o cenário é de ruínas de casas e palácios antigos. A paisagem das ruínas se torna habitação da Sagrada Família. Mas, por que ruínas e pedras, sem tanto verde e flores? Conforme o Papa Francisco, na sua carta sobre o significado e valor do presépio (Admirabile Signum, 4), as ruínas “são sinal visível sobretudo da humanidade decaída, de tudo aquilo que cai em ruína, que se corrompe e definha. Este cenário diz que Jesus é a novidade no meio dum mundo velho, e veio para curar e reconstruir, para reconduzir a nossa vida e o mundo ao seu esplendor originário”. Trata-se da resposta ao questionamento “por que Deus se fez homem?” (Cur Deus Homo). Deus se fez homem porque quis, por amor e bondade infinitos, para salvar, libertar, redimir, tendo em vista a justiça e a misericórdia divinas, relacionadas, conciliadas e não excludentes. É, claramente, uma obra amorosa de Deus: Jesus Cristo nasceu e morreu; nada maior nem mais justo pode ser pensado.

 

Padre Jocimar Romio sobre a instalação do Presépio.

 

É importante também perceber, por meio de alguns detalhes, significados profundos e muito importantes. O presépio do Santuário, neste ano, está ligado ao céu azul e estrelado. No alto, junto das estrelas, está pintada a imagem do Espírito Santo, em forma de pomba. A relação entre o Espírito Santo e Nossa Senhora é muito especial. É atribuída à obra do Espírito a consagração e a santidade de Maria. Ao recordar a maternidade de Maria, recorda-se o que o Anjo disse a ela: “O Espírito Santo virá sobre ti e o poder do altíssimo vai te cobrir com a sua sombra” (Lc 1,35). Outra passagem bíblica importante é a que diz “O que em Maria foi gerado vem do Espírito Santo” (Mt 1,20). Trata-se da mensagem do Anjo a São José, em sonho, antes do nascimento de Cristo. Jesus foi gerado no ventre de Maria pela ação do Espírito Santo. A Igreja também apresenta a relação entre o Espírito Santo e Maria num aspecto esponsal, chamando Nossa Senhora, inclusive, de “Santuário do Espírito Santo”, expressão que frisa bem o caráter sagrado da Virgem Maria, que se torna habitação permanente do mesmo Espírito. Vale destacar, de igual modo, que os tecidos que ligam o presépio ao céu estrelado formam uma espécie de “tenda”, evocando o sentido bíblico da presença gloriosa de Deus, que se manifesta entre as pessoas. O presépio é como a shekinah, a morada de Deus, a tenda da presença de Deus.

Outra bela cena, que diz muito para nós, é a imagem do Papa, de mãos dadas com algumas pessoas. Busca-se recordar que, em Cristo Jesus, o Verbo de Deus que se fez carne, “somos todos irmãos” (Fratelli Tutti). A última Carta Encíclica do Papa Francisco reflete, de fato, sobre a fraternidade e a amizade social, temas pertinentes, também nessa época difícil da pandemia do novo coronavírus. Algumas palavras do Papa também estão expostas no Santuário Antigo, seja para preparar o nosso coração para contemplar o presépio, seja para contribuir no conhecimento da fé, na prática da oração e no crescimento da consciência de que, sim, somos todos irmãos e irmãs em Cristo, independente de idade, raça ou condição socioeconômica.

Jesus é colocado numa manjedoura, que, em latim, se diz praesepium, donde vem a nossa palavra “presépio”. Que nosso coração seja uma manjedoura, um presépio para acolher o Menino Deus. Feliz Natal e abençoado ano novo!