Neste primeiro domingo após a Páscoa, celebra-se em toda a Igreja a Festa da Divina Misericórdia. Esta devoção teve sua origem a partir das visões de Santa Faustina Kowalska, uma religiosa polonesa, que recebeu revelações privadas de Nosso Senhor sobre a sua Divina Misericórdia.

 

 

 

A imagem da Divina Misericórdia revelada a Santa Faustina, em 1931, e que foi por ela reproduzida, mostra Jesus levantando sua mão direita em sinal de bênção, apontando com a mão esquerda o seu peito de onde fluem dois raios, um vermelho e outro branco.

Em seu Diário, Santa Faustina aponta que “o raio pálido significa a Água que justifica as almas; o raio vermelho significa o Sangue que é a vida das almas (…) Feliz aquele que viver à sua sombra, porque não será atingido pelo braço da justiça de Deus” (Diário, 299).

No 2000, o Papa João Paulo II, durante a canonização de Santa Faustina, instituiu o segundo Domingo da Páscoa como o Domingo da Divina Misericórdia: “É importante, então, que acolhamos inteiramente a mensagem que nos vem da palavra de Deus neste segundo Domingo de Páscoa, que de agora em diante na Igreja inteira tomará o nome de Domingo da Divina Misericórdia”. (Homilia, 30 de abril de 2000).

 

 

Na Diocese de Caxias do Sul, o Domingo da Divina Misericórdia foi celebrado no Santuário de Caravaggio e contou com a presença de cerca de 370 pessoas. A Festa da Divina Misericórdia que já está na sua 5ª edição na diocese, foi organizada pelo Movimento “Um só Coração” compreendendo representantes de vários grupos de Caxias do Sul e região. A programação teve início com a Celebração Eucarística, às 11hs, presidida pelo Pe. Diego Bettoni. Após, o grupo participou da adoração ao Santíssimo Sacramento e de um momento de testemunhos no auditório do Santuário. A conclusão do encontro ocorreu às 15hs com a récita do Terço da Misericórdia.

 

 

O Papa Francisco celebrou o Domingo da Divina Misericórdia no Vaticano e recordou na oração do Regina Coeli: “Tocar as chagas de Jesus, que são os tantos problemas, dificuldades, perseguições, doenças, de tantas pessoas que sofrem. Tu não estás em paz? Vai, vai visitar alguém que é o símbolo da chaga de Jesus. Toca a chaga de Jesus. Mas daquelas chagas brota a misericórdia, por isso hoje é o Domingo da Misericórdia. Um santo dizia que o corpo do Jesus crucificado era como um mar de misericórdia, que por meio de suas chagas veio até nós”.