Neste sábado, dia 10, ocorreu no Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio, o Momento com a Super Região Brasil (SRB), na Província Sul III.

 

 

 

O encontro teve missa e confraternização. A programação iniciou às 19h, com celebração eucarística, e às 20h30, houve momento de confraternização.

 

Para viver este momento de fé, a Região RS I convidou a todos os casais a participarem de um momento de oração e convivência.

 

Durante o encontro houve também músicas da cultura italiana e gaúcha.

 

 

 

 

 

 

Como nasceu as Equipes de Nossa Senhora:

Em 1938, um jovem padre de Paris, Henri Caffarel, recebe a visita de uma pessoa que desejava lhe falar sobre sua vida espiritual. Alguns dias depois, ela volta, acompanhada do marido. A seguir, esse casal apresenta o Padre Caffarel a outros três casais. Repletos de amor e cristãos convictos pedem a ele que os guie em busca de viver o seu amor à luz da sua fé.
  
“Façamos o caminho juntos” responde-lhes o Padre Caffarel, e dessa maneira, o projeto de se reunirem para refletir em comum sobre o matrimonio estava lançado.
Pouco a pouco, os olhos destes jovens casais descobrem o lugar privilegiado do casal nos desígnios de Deus. Simultaneamente, fazem experiências de vida comunitária onde se realiza a promessa de Cristo de estar presente. A vida deles progride através da abertura aos outros, na união a Deus, entre os esposos e entre os casais.
1939-1945 – A experiência se expande 

Durante a II Guerra Mundial, muitos outros grupos de casais se formaram. A reflexão em equipe se expande e se aprofunda. Nesta época aparece a revista “L’Anneau d’Or” que dá conhecimento a inúmeros outros casais da experiência dessas pequenas equipes e da espiritualidade que eles vivem.

 

 

 

 


 


1947 – O Movimento se organiza

No final da II Guerra Mundial a formação de casais em equipes era muito intensa. A necessidade de unidade e de uma estrutura concreta surge, era necessário criar uma regra. O Padre Caffarel e os responsáveis pelo Movimento elaboram então, sustentados pela oração, um documento fundador que é chamado de “Carta das Equipes de Nossa Senhora”, ou mais conhecido por “Estatutos” que contém os pontos essenciais que cada casal, membro das ENS, deve seguir: Além da obrigatoriedade da Reunião Mensal, devem buscar seu aperfeiçoamento através da Oração Conjugal, Dever de Sentar-se, Regra de Vida, Leitura da Palavra e participação em Retiro Espiritual pelo menos uma vez por ano.

 


 

1950-1969 – O Movimento ultrapassa fronteiras lingüísticas
Tendo como suporte a “Carta”, as Equipes de Nossa Senhora desenvolvem-se rapidamente pela França, Bélgica e Suíça. Atravessam fronteiras lingüísticas e os oceanos. Em 1950 chegam ao Brasil e a Luxemburgo; em 1953 às Ilhas Mauricio e Senegal; 1955 a Espanha e ao Canadá; 1956 a Inglaterra; 1957 a Portugal; 1958 à Alemanha e Estados Unidos; 1959 à Áustria e Itália; 1961 à Austrália e Colômbia; 1962 a Madagascar e Vietnam; em 1963 ao Líbano e Irlanda; em 1968 Japão e África francesa e em 1969 à Índia. O salto das Equipes além das fronteiras francesas obrigou o Movimento a optar por um dos caminhos: Ser uma federação de movimentos nacionais e paralelos, ou ser um Movimento único e internacional. A reflexão conduziu-nos para a segunda hipótese. Trazidos pelo casal Nancy e Pedro Moncau Jr., funda-se a 13/05/1 950 a primeira Equipe no Brasil.

 


 

1957 – Visita do Padre Caffarel ao Brasil
Com profundo espírito de devoção às equipes brasileiras o Padre Caffarel visita pela primeira vez o Brasil. Num encontro de muita vibração, alegria e cheios de esperança, alguns casais das 10 equipes existentes na capital de São Paulo e 3 do Interior se reúnem com o Padre Caffarel no Colégio Santa Cruz para ouvirem avidamente suas palavras.

 


 

 

1960 – A Região Brasil
É fundada a Região Brasil 3 anos após a primeira visita do Padre Caffarel às equipes brasileiras, e nessa ocasião, setembro/outubro de 1 962 o Brasil já possuía 167 Equipes.

 


 

1970 – O Encontro Internacional em Roma
O Concilio Vaticano II, as profundas transformações do mundo e da Igreja interpelam as Equipes de Nossa Senhora. Chega o momento de realizar um grande balanço e a partir daí recomeçar. Num grande Encontro Internacional realizado em Roma, dois mil casais, vindos de vinte e três países vivem, durante cinco dias, com grande amor fraternal uma experiência espiritual excepcional. Durante este Encontro, o Papa Paulo VI, num belíssimo discurso confirma solenemente a intenção fundamental que tinha motivado a formação das primeiras Equipes: o amor humano é o caminho para a santidade; o casal, imagem privilegiada do seu Criador, unidos pelo sacramento do Matrimônio, é o “rosto sorridente e doce da Igreja”. O casal tem assim uma vocação própria e um testemunho específico a dar ao mundo.

 


 

 

1973 – O fundador das Equipes, Padre Caffarel, deixa o Movimento
As Equipes de Nossa Senhora defrontam-se com uma nova etapa em sua caminhada: o fundador, Padre Caffarel, decide retirar-se para deixar o seu lugar a uma Equipe mais jovem e por entender que à vontade de Deus sobre o Movimento, sua missão, seu esforço de oração, de reflexão e de transformação precisavam acima de tudo continuar independentes.

 


 

1975 – O Reconhecimento Oficial da Equipes
As Equipes de Nossa Senhora são reconhecidas por Roma como uma “Associação Internacional Católica” – carta do Cardeal Roy, Presidente do Conselho Pontifício para os Leigos.

 

 

 

 

 


 

1976 – O Novo Documento: “O que é uma Equipe de Nossa Senhora”
A Equipe responsável faz um trabalho de releitura da Carta fundadora com base no panorama do momento em que vivia e elabora um documento definitivo : “O que é uma Equipe de Nossa Senhora” que acaba se constituindo na principal referência para as Equipes de todo o mundo. Neste mesmo ano se realiza outro Encontro Internacional em Roma (setembro) que veio confirmar a orientação do Movimento na sua via espiritual e apostólica. O Papa Paulo VI também presente nesse Encontro fala às Equipes: “Permanecei como quiseram ser desde o primeiro dia…, verdadeira escola de espiritualidade para os casais…”, e ao terminar: “Que esta peregrinação… vos ajude a implementar em todos os países os valores essenciais do matrimônio e a contagiar as famílias que os vivem”. Foi em conseqüência deste Encontro que nasceram as Equipes Jovens de Nossa Senhora.

 


 

1988 – O Encontro Internacional Lourdes (França)
Após quarenta anos da Carta Fundadora o Movimento se encontra em momento decisivo em sua história. Procura discernir e aprofundar o que Deus espera das Equipes de Nossa Senhora nos anos que virão. Nesta reflexão profunda seus membros propõem que para evitar o desalento, a rotina ou mesmo o habitual descubram um segundo fôlego (Segunda Inspiração), termo muito usado por atletas para os esforços de longa duração. Um tal recurso exige um esforço de verdade, de lealdade e respeito às origens. Elabora-se então um documento que se constitui num ponto novo de partida, uma estaca fincada no caminho já percorrido, num apelo a criatividade para que as Equipes continuem sua caminhada inspiradas pelo carisma do Espírito que atua continuadamente inspirando-os a servir ao amor, respeitando os sinais dos tempos.

 


 

1992 – O Decreto de Reconhecimento
Tendo cuidadosamente estudado o projeto de estatutos submetido à sua aprovação, e tendo recebido o acordo do Papa João Paulo II durante audiência concedida ao Cardeal Eduardo Pironio em 26 de Março, o Pontifício Conselho para os Leigos reconhece as Equipes de Nossa Senhora como Associação de Fiéis de Direito Privado e aprova seus estatutos. Com este reconhecimento oficial, o vínculo de fidelidade à Igreja e ao seu magistério, que, desde a sua origem, tem caracterizado o Movimento se consolida.

 


 

 

 

1994 – O Encontro Internacional de Fátima (Portugal)
Desde o primeiro Encontro Internacional realizado em Lourdes (1954), sucedem-se outros, a cada seis anos. Cerca de 5 100 membros das Equipes de Nossa Senhora – casais e sacerdotes conselheiros espirituais – vindos de mais de quarenta países dos cinco continentes, encontram-se em Fátima para a realização do VIII Encontro Internacional. Tendo a Igreja feito a proposta a ONU, proclamando o ano de 1994 como “Ano da Família”, as Equipes, Movimento da Igreja, quiseram unir-se a este objetivo centrando sua reflexão no tema “Ser Família hoje na Igreja e no Mundo”. E fizeram-no segundo o seu carisma próprio de Movimento de Espiritualidade Conjugal, a partir do casal, “centro” da família.

 

 

 


 

 

1996 – O Fundador – Padre Caffarel retorna ao Pai
Aos 18 dias de Setembro, o querido Padre Caffarel foi chamado por Deus. Encontrava-se na Maison de Troussures, onde fundou uma escola de oração depois de ter se retirado da animação do Movimento em 1973.