Padre Maurício da Silva Jardim foi recebido em audiência pelo Papa Francisco no encerramento da Assembleia anual das Pontifícias Obras Missionárias.

Bianca Fraccalvieri – Cidade do Vaticano

O Papa Francisco acompanha a situação no Brasil e reza pelo nosso país: é o que garante o diretor das Pontifícias Obras Missionárias (POM), Padre Maurício da Silva Jardim.

O sacerdote foi recebido em audiência pelo Pontífice sexta-feira passada, na conclusão da Assembleia Anual das POM, realizada em Roma.

Padre Maurício visitou os estúdios do Vatican News e contou o que disse ao Santo Padre:

Desta vez, pedi a ele orações pelo Brasil, pela situação que a gente vive: uma crise ética, política, social. Tivemos recentemente a greve dos caminhoneiros. O Brasil viveu situações muitos difíceis e delicadas. Coloquei a ele brevemente esta situação e o Papa disse que estava acompanhando toda essa situação do Brasil com orações. Ele disse: “Estou muito atento a tudo o que está acontecendo”. O encontro é muito breve, mas muito intenso. Concluí dizendo: “Então peço ao senhor uma benção para o Brasil”. E ele fez o gesto da bênção a todo o povo brasileiro, para não perder a esperança, para não perder a coragem. As coisas podem mudar.

Outubro missionário

De 28 de maio a 2 de junho, 120 diretores nacionais das POM se reuniram para tratar de inúmeros temas, entre os quais a realização do outubro missionário de 2019. Trata-se de uma convocação extraordinária, que está sendo organizada a pedido do Papa Francisco e que envolverá toda a Igreja e não somente o que diz respeito à missão. O tema será “Batizados e enviados”.

Como preparação a este mês, a Congregação para a Evangelização dos Povos incluiu a valorização do testemunho de missionários, pedindo a cada POM que indicasse quatro nomes. Padre Maurício anuncia em primeira mão o testemunho escolhido para representar o Brasil: Padre Ezequiel Ramin, missionário comboniano assassinado em 1985 em Rondônia a mando de latifundiários.

 

Fonte: Radio Vaticano