Senhor a quem iremos, se tu és nossa vida, se tu és nosso amor.

 

O fim de semana foi bastante especial para a Diocese de Caxias do Sul. Isto porque no domingo (26) foi ordenado sacerdote em sua comunidade de Arcoverde, interior de Carlos Barbosa, o diácono Miguel Mosena. Aos 27 anos, ele teve sua ordenação celebrada de uma forma bastante diferente das usuais, já que em virtude do avanço do coronavírus, a programação teve limitação de pessoas no local e transmissão feita quase que exclusivamente pela internet. No entanto, nada disso limitou a emoção, devoção e fé de quem assistiu a mais um jovem atendendo ao chamado vocacional, ainda que diante de tempos tão incertos que o mundo todo vive.

 

 

Confira a entrevista com o sacerdote.

 

Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio: Como foi seu chamado para a vocação?

 

Nos últimos dias em que estive recolhido para um tempo em que intensifiquei minha oração, tempo este que na Igreja comumente chamamos de retiro, percebi como nosso Senhor foi me preparando para que pudesse entregar definitivamente minha vida à Ele na Igreja. O chamado começou quando meus pais me levaram até a Igreja Matriz de Arcoverde para receber o sacramento do Batismo no final de agosto de 1992. De lá até meu ingresso no Seminário em 2007, a vida comunitária foi decisiva para que não me afastasse da Igreja, mesmo que precisasse levantar cedo no domingo para ir à Missa (8h30). Entretanto, além do apoio de meus pais que sempre foram uma presença constante na vivência da fé, existem alguns elementos muito específicos que colaboraram para o ingresso no Seminário Diocesano Nossa Senhora Aparecida em Caxias do Sul, no ano de 2007: a participação no grupo de jovens da comunidade e a beleza e o entusiasmo na forma que conduziam as liturgias (sobretudo os cantos), ser coroinha junto com meus amigos, brincar de rezar missa e ter minha nona paterna Maria (in memorian) como minha primeira paroquiana e, por fim, a visita da equipe vocacional da época na minha escola foram decisivos e foram os sinais em que pude perceber Deus me chamando para sua Messe.

E foi irresistível!

 

Santuário: Como você define sua caminhada até aqui: qual o principal aprendizado?

 

Defino como um tempo da graça! Um tempo em que a Providência de Deus sempre foi generosa comigo e pode ir me preparando e formando meu coração de padre e futuro pastor daquelas ovelhas que me serão confiadas ao longo da minha vida sacerdotal. Ele chamou; na liberdade disse SIM; na Igreja fui e continuo sendo preparado e agora vou aonde Ele me mandar.

 

Por isso, o principal aprendizado que tive até o momento foi essa liberdade interior que Deus nos dá para servi-lo, independente das circunstâncias históricas que se viva ou da paróquia ou comunidade que se esteja. Até o último domingo (26) Ele me enviou para ser seu instrumento na realidade da paróquia São Roque e da paróquia Nossa Senhora do Rosário, ambas em Bento Gonçalves. Depois de domingo, pode ser que o lugar da missão mude, mas o propósito permanece: ser um total instrumento do Senhor no ministério assumido com alegria!

Santuário: Ao escolher a vocação religiosa, qual sua principal missão ou objetivo?

 

A principal missão não é ser o centro das atenções, tornar-se um super-homem ou um semi-deus, mas um filho que, nas suas virtudes e limitações, procura ser instrumento na relação das pessoas com Deus. O padre é um pai para uma comunidade na sua direção espiritual, é um mediador, motiva os serviços da comunidade a ele confiada, busca e oferece acolhida àquelas ovelhas que por um motivo ou outro se perderam do Caminho, é um homem que reza, é aquele que celebra com toda dignidade a fé da Igreja, é aquele que procura servir com alegria mas que também (como todo ser humano) pode acordar de mal-humor, é o pai de uma comunidade que cuida e precisa também ser cuidado. Por fim, a missão não está em ser um padre perfeito, mas um padre feliz junto daqueles a quem lhe foi confiado o cuidado para com as coisas do Céu!

Santuário: Tua ordenação ocorre em um momento bastante incerto e desafiador, em que a sociedade vive uma crise de saúde enorme. Para você, como está sendo lidar com este desafio?

 

Certamente até março deste ano não imaginava que a Ordenação ocorreria em meio a esta pandemia que só no Brasil já dizimou mais de 80 mil vidas. Como Cristo veio para que todos tenham vida e a tenham em abundância, o que mais é importante neste momento é o bom senso e o cuidado para com a vida das pessoas, por isso observar os cuidados que todos já conhecemos para que aquele dia possa ser um dia feliz e não triste, ao meu ver é crucial. Graças ao bom Deus, toda a comunidade de Arcoverde, mas também de outros lugares, compreendem que este é o momento para acompanhar a Santa Missa de casa, a fim de que todos fiquem bem. A fé quando é provada nas tribulações como esta que estamos passando, torna-se mais fecunda, madura e viva. Sou grato à Deus e a tantas pessoas que, com muita dedicação e carinho, não estão medindo esforços para que o dia da Ordenação e toda a preparação anterior (tríduo e vigília vocacional) seja feita de acordo com os cuidados necessários e possa ocorrer tudo bem.

Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio: O que você diria aos jovens que ainda não se decidiram por sua vocação?

Diria aquilo que Jesus sempre dizia aos seus discípulos e também falava aos apóstolos: Não tenhais medo! Pode ser que ficamos confusos e não nos achamos dignos de seguir uma vocação específica: a vida sacerdotal, a vida religiosa, a vida matrimonial, a vida solteira… Mas, Cristo que nos conhece e é nosso amigo vai mostrando, através de sinais e a seu tempo, o caminho de cada um. É por amor que entregamos nossa vida, é por amor a você que Cristo entregou a sua vida naquele bendito madeiro!

Santuário: Vc é devoto de Nossa Senhora de Caravaggio? Alguma palavrinha para descrever sua relação com Caravaggio?

 

Sim, sou devotíssimo, por duas razões: a primeira porque quando minha mãe engravidou de mim rezou muito para que Nossa Senhora de Caravaggio, como uma mãe que também foi, pudesse tornar a primeira gravidez dela tranquila e que eu pudesse nascer com saúde. A segunda razão de minha devoção é porque no período da minha formação sacerdotal em que cursei o Propedêutico em 2010 no Santuário, pude ver com mais clareza os sinais de que Deus me mostrava para o SIM ao sacerdócio através do trabalho dos sacerdotes junto aos peregrinos que vinham até Caravaggio e também com a bonita convivência com a comunidade do Santuário.

 

 

Saiba mais:

 

Miguel é filho de Sérgio Antonio Mosena e Lorena Botega Mosena. Em sua trajetória preparatória ao sacerdócio, frequentou o Seminário Diocesano Nossa Senhora Aparecida, em Caxias do Sul e o curso Propedêutico junto ao Santuário de Caravaggio, em Farroupilha. Ingressou no Seminário Maior São José em 2011 onde cursou Filosofia na Universidade de Caxias do Sul. Em 2014, iniciou seus estudos de Teologia no Seminário Maior São Lucas, em Porto Alegre-RS.

Durante um semestre de 2015 fez um estágio pastoral na paróquia São Francisco de Assis, em Monte Belo do Sul-RS. Ainda de acordo com informações da Diocese, após concluir seus estudos em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Mosena foi designado para fazer sua etapa pastoral nas paróquias São Roque e Nossa Senhora do Rosário de Faria Lemos, em Bento Gonçalves-RS. Foi ordenado diácono no dia 30 de novembro de 2019, na paróquia de São Roque.