Notícias

27 jul
0

Imagem peregrina de Nossa Senhora de Caravaggio visita paróquia Santo Antônio de Bento Gonçalves.

Como ação do Santuário de Caravaggio por ocasião do Ano Nacional Mariano, em comemoração pelos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida no rio Paraíba do Sul e centenário das aparições de Nossa Senhora de Fátima, em Portugal, todos os meses , a imagem de Nossa Senhora de Caravaggio visita uma comunidade da diocese dedicada a esta devoção. Para esta ação foi confeccionado um carro andor que transporta a imagem. Na noite de quarta-feira, 26 de julho, a visita foi à Comunidade de Nossa Senhora de Caravaggio no bairro Vila Nova II, paróquia Santo Antônio, Bento Gonçalves. Em virtude da reconstrução da Igreja a celebração aconteceu no CTG Presilha da Serra, na mesma comunidade.

 

Leia mais
17 jul
0

Ordem dos Cônegos Regulares Lateranenses celebram 70 anos no Brasil, em missa no Santuário de Caravaggio.

A ordem dos Cônegos Regulares Lateranenses, celebraram no Santuário de Caravaggio, os setenta anos de sua presença no Brasil, a missa celebrada por Dom Alessandro Ruffinoni com a participação de Conêgos de diversas localidades do Brasil, assim como os Provinciais da Italia, Argentina, Polônia, França, Santo Domingo, Espanha e Brasil.

No ano de 1947 a província italiana deu inicio a uma missão no Brasil. Os dois primeiros missionários foram o cônego polonês Arcangelo Sysk e o cônego Domingo Tonini, italiano; que se fixaram no pequeno distrito de Caxias do Sul, chamado S. Lúcia do Piai, com a esperança de crescer neste imenso país

Em São Paulo os cônegos se estabeleceram em um bairro muito longe do centro com pouquíssimos recursos. Mas com a graça de Deus, a colaboração da província italiana, e a generosidade dos fieis, conseguiram construir uma grande e majestosa igreja dedicada a Nossa Senhora dos Remédios; consagrada pelo card. Paulo Evaristo Arnes. Em seguida, para responder ás necessidades do povo, a maioria imigrante do nordeste, construíram um prédio escolar com diferentes cursos, diurnos e noturnos; e também uma creche para 300 crianças.

Desde o inicio os padres preocuparam-se de cuidar da pastoral vocacional com um seminário menor em S. Lúcia, atualmente sede do noviciado, em Caxias foi construído um segundo seminário para estudantes de nível médio; a comunidade de Curitiba acolhe jovens seminaristas estudantes de filosofia. E em São Paulo termina-se a formação com o curso de teologia.

 

 

 

Leia mais
12 jul
0

Nota da CNBB critica reforma trabalhista

Após uma sessão conturbada, o Senado aprovou na noite de terça-feira (11/07) a Reforma Trabalhista.

A votação ficou suspensa por mais de seis horas por causa de um protesto liderado por senadoras de oposição. O projeto segue agora para a sanção do presidente Michel Temer. No mesmo dia, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) assinou, com outras entidades, uma Nota Pública criticando o projeto de Reforma Trabalhista.

Na Nota, as entidades afirmam que o texto está “crivado de inconstitucionalidades” e representa “grave retrocesso social”. Entre os pontos de inconstitucionais destacados, estão a prevalência do conteúdo de acordos e convenções coletivas.

Além da CNBB, assinam a Nota, O Ministério Público do Trabalho (MPT), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e outras 11 entidades.

Leia a íntegra da Nota:

Nota Pública

As instituições abaixo subscritas vêm a público, na iminência de votação plenária, reiterar sua posição contrária à votação do PLC 38/2017 – a chamada “reforma trabalhista” -, prevista para 11/7/2017, no Plenário do Senado Federal. Nesse sentido, registram o seguinte:

1. Açodada, carente da participação adequada de todos os segmentos sociais envolvidos, as audiências públicas, durante a tramitação do projeto, demonstraram categoricamente que o texto a votar está contaminado por inúmeras, evidentes e irreparáveis inconstitucionalidades e retrocessos de toda espécie, formais e materiais.

2. A esse propósito, destacam-se:

A introdução da prevalência irrestrita do negociado sobre o legislado, fora das hipóteses taxativamente autorizadas pelo art. 7º da Constituição da República

A limitação pecuniária das indenizações por danos morais, baseadas nos salários das vítimas, o que viola o fundamento republicano da dignidade da pessoa humana (art. 1º, III) e, por propiciar tratamento distinto a situações idênticas, a garantia fundamental da isonomia (caput do art. 5º)

A proibição do exame, pela Justiça do Trabalho, do conteúdo de convenções e acordos coletivos, limitando-se à análise a seus aspectos formais, o que torna tais normas coletivas os únicos negócios jurídicos do País totalmente imunes à jurisdição, em colisão frontal com a inafastabilidade da jurisdição, imposta pelo art. 5º, XXXV

A instituição de regime ordinário de prorrogação da jornada de trabalho por acordo individual, violando ostensivamente o art. 7º, XIII, que somente a autoriza por meio de acordo ou convenção coletiva.

3. Neste passo, conclamam o Senado da República à efetiva consecução de sua função constitucional revisora, impedindo a aprovação açodada de projeto crivado de inconstitucionalidade e deflagrador de grave retrocesso social, a consequente ruptura com o compromisso internacional assumido pelo País ao ensejo do art. 26 do Pacto de San Jose da Costa Rica e, por tudo, o rebaixamento histórico do patamar civilizatório mínimo de cidadania social que se construiu ao longo de quase dois séculos e meio.

Fonte: CNBB

Leia mais
04 jul
0

Terço dos Homens no Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio

Aconteceu na noite de ontem, 03 de julho, no Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio, o encontro do Terço dos Homens Nossa Senhora de Caravaggio. Em uma noite agradável , 35 homens estiveram presentes no Santuário para rezar o terço, pedindo a Maria pela família, pelo trabalho, pelas necessidades, apresentando louvores e agradecimentos. A apresentação da Caixa dos Pedidos, as rosas oferecidas por cada um para formarem o terço, e a despedida em frente ao sacrário, foram momentos fortes do encontro de Caravaggio.
O próximo encontro do Terço dos Homens acontecerá no dia 07 de agosto, às 20h, no Santuário de Caravaggio.
Esperamos os “sim” de todos os homens para este convite de Maria.

 

Leia mais
26 jun
0

Imagem peregrina de Nossa Senhora de Caravaggio visita Paróquia Cristo Rei.

Como ação do Santuário de Caravaggio por ocasião do Ano Nacional Mariano, em comemoração pelos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida no rio Paraíba do Sul e centenário das aparições de Nossa Senhora de Fátima, em Portugal, todos os meses , a imagem de Nossa Senhora de Caravaggio visita uma comunidade da diocese dedicada a esta devoção. Para esta ação foi confeccionado um carro andor que transporta a imagem. Na noite deste domingo, 25 de junho, a visita foi à Igreja Cristo Rei (Bento Gonçalves) e Comunidade de Nossa Senhora de Caravaggio – Tamandaré (Garibaldi).

Leia mais
22 jun
0

Papa: um padre deve ter paixão, discernimento e denúncia

Um pastor deve ser apaixonado, deve saber discernir e deve saber também denunciar o mal. Foi o que disse o Papa Francisco na missa celebrada na manhã de quinta-feira (22/06) na Casa Santa Marta.

Em sua homilia, o Pontífice se inspirou na Primeira Leitura, extraída da Carta de São Paulo aos Coríntios, para falar de três características de um pastor.

primeira qualidade, indicou ele, é ser um pastor “apaixonado”, a ponto de dizer à sua gente, ao seu povo: ‘Sinto por vós um amor ciumento semelhante ao amor divino”. É “divinamente ciumento”, comentou o Papa.

Uma paixão, portanto, que se torna quase “loucura”, “insensatez” pelo seu povo. “E isso – acrescentou – é aquela característica que nós chamamos de zelo apostólico: não se pode ser um verdadeiro pastor sem este fogo por dentro”. Já a segunda característica do sacerdote é “um homem que sabe discernir”:

“Sabe que na vida tem a sedução. O pai da mentira é um sedutor. O pastor, não. O pastor ama. Ama. Ao invés, a serpente, o pai da mentira, é um sedutor. É um sedutor que tenta afastar da fidelidade, porque aquele ciúme divino de Paulo era para levar o povo a um único esposo, para manter o povo na fidelidade ao seu esposo. Na história da salvação, nas Escrituras muitas vezes encontramos o afastamento de Deus, as infidelidades ao Senhor, a idolatria, como se fossem uma infidelidade matrimonial”.

A segunda característica, portanto, é que saiba discernir: “discernir onde existem perigos, onde estão as graças… onde está a verdadeira estrada”. Isso “significa que o pastor sempre acompanha as ovelhas: momentos belos e também nos momentos difíceis, inclusive nos momentos da sedução, com a paciência os leva ao redil”. Já a terceira característica é a “capacidade de denunciar”:

“Um apóstolo não pode ser um ingênuo: ‘Ah, está tudo bem, vamos para frente, ok?, está tudo bem … Façamos uma festa, todos … tudo se pode …’. Porque há a fidelidade ao único esposo, a Jesus Cristo, a defender. E ele sabe condenar: aquela concretude, dizer ‘isso não’, como os pais dizem ao filho quando começa a engatinhar e vai na tomada para colocar o dedo: ‘Não, isso não! É perigoso!’. Mas me veem à mente tantas vezes aquele ‘tuca nen’ (não toque em nada) que os meus pais e avós me diziam naqueles momentos em que havia um perigo”.

O Bom Pastor – disse ainda o Papa – sabe denunciar, “com nome e sobrenome”, como fazia São Paulo. Francisco então recordou sua recente visita às cidades italianas de Bozzolo e Barbiana, aos túmulos dos sacerdotes Pe. Milani e Pe. Mazzolari. De modo especial, recordou o que dizia Pe. Milani quando ensinava os jovens:

“I care. Mas o que significa? Explicaram-me que, com isso, ele queria dizer ‘eu me importo’. [Pe. Milani] ensina que as coisas deveriam ser levadas a sério, contra o slogan daquele tempo que [era] ‘eu não me importo’, mas disse em outra linguagem, que eu não ouso dizer aqui. E assim ensinava os jovens a irem avante. Cuide: cuide de sua vida e ‘isso não’!’”

Portanto, saber denunciar “o que vai contra a sua vida”. E muitas vezes, disse, “perdemos esta capacidade de condenar e queremos levar avante as ovelhas um pouco com aquela ‘bondade’ que não é ingênua”, mas faz mal. Aquela “bondade” para atrair a admiração ou o amor dos fiéis “deixando que façam”.

Resumindo: “O zelo apostólico de Paulo, apaixonado, zeloso, é a primeira característica. O homem que sabe discernir porque conhece a sedução e sabe que o diabo seduz é a segunda característica. E um homem com capacidade de condenar as coisas que fazem mal às suas ovelhas é a terceira caraterística”. O Papa então concluiu com uma oração “por todos os pastores da Igreja, para que São Paulo interceda diante do Senhor, para que todos nós pastores possamos ter essas três característica para servir o Senhor”.

 

Fonte: Rádio Vaticano

Leia mais
15 jun
0

Solenidade de Corpus Christi no Santuário de Caravaggio

O Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio celebrou nesta quinta-feira, 15 de junho, a solenidade de Corpus Christi.

Após a missa das 8h, foi realizada a tradicional procissão do Santíssimo Sacramento sobre os tapetes decorativos. O percurso iniciou no Santuário, percorreu a avenida Dom José Baréa, retornando para a bênção do Santíssimo.

 

Corpus Christi (expressão latina que significa Corpo de Cristo) é uma festa que celebra a presença real e substancial de Cristo na Eucaristia.

É realizada na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. É uma festa de ‘preceito’, isto é, para os católicos é de comparecimento obrigatório participar da Missa neste dia, na forma estabelecida pela Conferência Episcopal do país respectivo.

A procissão pelas vias públicas, quando é feita, atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico (cân. 944) que determina ao Bispo diocesano que a providencie, onde for possível, “para testemunhar publicamente a veneração para com a santíssima Eucaristia, principalmente na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo.” É recomendado que nestas datas, a não ser por causa grave e urgente, não se ausente da diocese o Bispo (cân. 395).

A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao Século XIII. A Igreja Católica sentiu necessidade de realçar a presença real do “Cristo todo” no pão consagrado. A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.

O Papa Urbano IV foi o cônego Tiago Pantaleão de Troyes, arcediago do Cabido Diocesano de Liège na Bélgica, que recebeu o segredo das visões da freira agostiniana, Juliana de Mont Cornillon, que exigiam uma festa da Eucaristia no Ano Litúrgico. Conta a história que um sacerdote chamado Pedro de Praga, de costumes irrepreensíveis, vivia angustiado por dúvidas sobre a presença de Cristo na Eucaristia. Decidiu então ir em peregrinação ao túmulo dos apóstolos Pedro e Paulo em Roma, para pedir o Dom da fé. Ao passar por Bolsena (Itália), enquanto celebrava a Santa Missa, foi novamente acometido da dúvida. Na hora da Consagração veio-lhe a resposta em forma de milagre: a Hóstia branca transformou-se em carne viva, respingando sangue, manchando o corporal, os sangüíneos e as toalhas do altar sem no entanto manchar as mãos do sacerdote, pois, a parte da Hóstia que estava entre seus dedos, conservou as características de pão ázimo.

Por solicitação do Papa Urbano IV, que na época governava a igreja, os objetos milagrosos foram para Orviedo em grande procissão, sendo recebidos solenemente por sua santidade e levados para a Catedral de Santa Prisca. Esta foi a primeira procissão do Corporal Eucarístico. A 11 de agosto de 1264, o Papa lançou de Orviedo para o mundo católico através da bula Transiturus do Mundo o preceito de uma festa com extraordinária solenidade em honra do Corpo do Senhor.

A festa de Corpus Christi foi decretada em 1264.

O decreto de Urbano IV teve pouca repercussão, porque o Papa morreu em seguida. Mas se propagou por algumas igrejas, como na diocese de Colônia na Alemanha, onde Corpus Christi é celebrada desde antes de 1270. A procissão surgiu em Colônia e difundiu-se primeiro na Alemanha, depois na França e na Itália. Em Roma é encontrada desde 1350.

A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse: ‘Este é o meu corpo…isto é o meu sangue… fazei isto em memória de mim’. Porque a Eucaristia foi celebrada pela 1ª vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade. Neste Sacramento, no momento da Consagração, ocorre a transubstanciação, ou seja, o pão se torna carne e o vinho sangue de Jesus Cristo, em toda Santa Missa, mesmo que esta transformação da matéria não seja visível.

Leia mais
12 jun
0

Programação de Corpus Christi no Santuário de Caravaggio

8h – Missa e procissão com o Santíssimo Sacramento.
Missas ás: 10h30min,15h e 17h .
14 hs – Récita do Terço.

 

“O Senhor, vosso Deus, vos nutriu com o maná, que vós não conhecíeis” (Dt 8,2)

Estas palavras de Moisés referem-se a história de Israel, que Deus tirou do Egito, da condição de escravidão, e por quarenta anos guiou no deserto em direção à  terra prometida. Uma vez estabelecido na terra, o povo eleito chega a uma certa autonomia, um certo bem-estar, e corre o risco de esquecer os tristes acontecimentos do passado, superados pela intervenção de Deus e Sua infinita bondade. Por isso,  as Escrituras os exortam a recordar, fazer memória de todo o caminho feito no deserto, no tempo de fome e desconforto. O convite de Moisés é o do retorno ao essencial, à experiência da total dependência de Deus, quando a sobrevivência foi confiada em suas mãos, para que o homem compreendesse que “ele não vive somente de pão, mas de toda palavra que sai da boca do Senhor “(Dt 8, 3).

Além da fome física que homem traz dentro de si, há uma outra fome, uma fome que não pode ser satisfeita com alimentação normal. É a fome de vida, fome de amor, fome de eternidade. E o sinal do maná – como toda a experiência do Êxodo – continha em si também esta dimensão: era a figura de um alimento que satisfaz esta fome profunda que há no homem. Jesus nos dá esse alimento, mais do que isso, é Ele mesmo o pão vivo que dá vida ao mundo (cf. Jo 6,51). Seu corpo é verdadeira comida sob as espécies do pão; o Seu sangue é verdadeiramente bebida sob as espécies do vinho. Não se trata apenas de um alimento com o qual saciar os nossos corpos, como o maná; o Corpo de Cristo é o pão dos últimos tempos, capaz de dar vida, e vida eterna, porque a substância deste pão é o Amor.

Na Eucaristia se comunica o amor de Deus por nós: um amor tão grande que nos alimenta com o Seu próprio ser; amor gratuito, sempre disponível a cada pessoa com fome e necessitada de revigorar suas forças. Viver a experiência da fé significa deixar-se nutrir pelo Senhor e construir a própria existência não sobre bens materiais, mas sobre a realidade que não perece: os dons de Deus, a Sua Palavra e Seu Corpo.

Se olharmos à nossa volta, percebemos que há tantas ofertas de alimentos que não são do Senhor e que, aparentemente, satisfazem mais. Alguns são nutridos pelo dinheiro, outros com sucesso e a vaidade, outros com poder e orgulho. Mas a comida que nos alimenta e que realmente nos satisfaz é apenas aquela que o Senhor nos dá! O alimento que o Senhor nos oferece é diferente dos outros, e talvez ele não pareça tão saboroso como os alimentos que nos oferece o mundo. Por isso, sonhamos com outras refeições, como os judeus no deserto, que lamentavam pela  carne e as cebolas que comiam no Egito, mas eles esqueceram que as refeições eram feitas na mesa da escravidão. Eles, nos momentos de tentação,  tinham memória, mas uma memória doente, uma memória seletiva.

Cada um de nós, hoje em dia, pode perguntar-se: e eu? Onde gostaria de comer? Em qual mesa eu quero me alimentar? Na  mesa do Senhor? Ou sonho em comer alimentos saborosos, mas na escravidão? Qual é a minha memória? Aquela que o Senhor me salva, ou aquela do o alho e das cebolas da escravidão? Com qual  memória  sacio a minha alma?

O Pai nos diz: “Eu te alimentei com o maná que você não conhecia”.  Recuperamos a memória e aprendamos a reconhecer o pão falso que ilude e corrompe, porque é fruto do egoísmo, da autossuficiência e do pecado.

A  Hóstia é o nosso maná, mediante a qual o Senhor no dá a Si mesmo. A Ele nos dirijamos com confiança: Jesus, defenda-nos das tentações do alimento mundano que nos torna escravos; purifica a nossa memória, para que não permaneça prisioneira na seletividade egoísta e mundana, mas seja memória viva de tua presença na história de seu povo, memória que se faz “memorial” do teu gesto de amor redentor. Amém.

Papa Francisco.

Leia mais
12 jun
0

Diocese lança projeto “Igreja em saída”para apresentar atividades das pastorais sociais

A Diocese de Caxias do Sul, por meio da Assessoria de Comunicação, está apresentando o projeto chamado “Igreja em saída”. Através de vídeos, serão apresentadas as pastorais sociais realizadas na diocese.

“Muitas pessoas desconhecem todo o trabalho social que é desenvolvido nas 74 paróquias, que compreendem o território diocesano. Baseado no Evangelho e na Doutrina Social da Igreja, toda a missão das pastorais visa dar mais vida e dignidade para as pessoas. O caminho inicia deste o ventre materno, com o cuidado e a atenção da Pastoral da Criança, e perpassa toda a vida, por exemplo, com a Pastoral Catequética, da Juventude, Vocacional, Familiar, e da Pessoa Idosa, além de tantas outras pastorais. Por isso, queremos apresentar um pouco de tudo que é realizado em prol da sociedade”, destaca o padre Elton Aristides, assessor de Comunicação da Diocese.

Os vídeos serão publicados nas redes sociais da Diocese (Youtube e Facebook) e no site: www.diocesedecaxias.org.br. Além disso, as comunidades que possuírem projetor, poderão veicular os vídeos antes das missas. A apresentação é feita pelo bispo diocesano, Dom Alessandro Ruffinoni e a produção é do padre Elton Aristides e do seminarista da Teologia, Miguel Mosena. Vídeo de introdução do projeto: https://youtu.be/izt5G8nNAG4

 

Padre Elton Marcelo Aristides

Assessor de Comunicação

Diocese de Caxias do Sul
(54) 3214.5388

Leia mais
11 jun
0

Imagem de Santo Antônio Visita o Santuário de Caravaggio.

Este domingo, 11 de junho, foi marcado pela visita da imagem e relíquia de Santo Antônio ao Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio. A visita aconteceu durante a missa das 11 horas.

Com o lema “Peregrinos do Amor”, a 139ª Festa de Santo Antônio de Bento Gonçalves ocorre no dia 13 de junho, terça-feira, dia votivo do padroeiro de Bento Gonçalves. Sendo uma das maiores e mais antigas festas religiosas da região, espera-se a participação de cerca de 15 mil pessoas.

A Festa inicia às 6h com Alvorada Festiva e segue com missas: às 7h, ​presidida pelo Padre Gilnei Fronza; às 8h30min, ​presidida pelo Padre Izidoro Bigolin; às 10h, ​presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Porto Alegre, Dom Jaime Spengler; às 15h, missa campal, ​presidida pelo bispo da Diocese de Caxias​ do Sul​, Dom Alessandro Ruffinoni, seguida de procissão; e às 18h, presidida pelo pároco Padre Ricardo Fontana, com apresentação dos Casais Festeiros de 2018. Durante o dia, haverá bênção individual da saúde com Freis Franciscanos.

Ao meio-dia, será servido o Almoço Festivo no Salão Paroquial do Santuário, com ingresso a 50 reais por pessoa, adquirido antecipadamente com festeiros ou na secretaria paroquial.

 

Leia mais
123