Ao adotar “Com Maria, a Mãe de Jesus, por uma cultura do encontro” como lema da 140ª Romaria de Nossa Senhora de Caravaggio, o Santuário Diocesano quis contribuir com o apelo do Papa Francisco: nosso pontífice observa com cuidado os rumos individualistas que a sociedade toma, cada vez com maior intensidade. Diante da globalização desta indiferença, o Papa propõe a cultura do encontro como resposta que se contrapõe ao individualismo e ao egoísmo. E o Santuário, em sua posição de instituição acolhedora e cenário de visitas de milhares de fiéis todos os meses, assumiu há 140 anos a responsabilidade de promover este grande encontro. Podemos lembrar que a romaria não se trata apenas de uma caminhada ou um passeio. Ela é a perfeita tradução do encontro com Deus, com Maria, consigo mesmo e com o próximo.

 

 

 

Durante esta caminhada, nem sempre sabemos o nome daquele que dá os passos ao nosso lado. Mas é possível observar, em suas expressões e sinais que emite, se está cansado, faminto, se precisa da nossa ajuda. A romaria destaca, portanto, algo essencial dentro da vivência cristã, ao ensinar que inexiste outra maneira de nos evangelizarmos sem o encontro, o diálogo, a possibilidade e o olhar ao próximo. O fechamento e a intolerância nos afasta de nós mesmos, nos desumaniza e nos torna menos cristãos.

Em um mundo que prega o isolamento e o descartável, estes momentos de reflexão e peregrinação são valiosos e dimensionam nosso espaço no mundo como cristãos. É fácil pender para o consumismo e esquecer que somos alma, coração e compaixão, e é o encontro que nos aproxima de um Deus. E a romaria nos leva também a Maria, mãe de Jesus. É ela quem nos faz diferentes, que nos encaminha para a construção necessária para a paz.

Nossa romaria é peregrinar, é caminhar, é encontrar consigo e também com os outros. Quem convive, quem interage e caminha junto tem um comportamento de construção. Quando as nações se separam, quando os muros são construídos, o Papa indica que estamos indo para o caminho errado. Por isso, quando você está caminhando nesta romaria, você quer encontrar algo que transcende os limites, o cansaço: é o encontro com Caravaggio, com Deus e com o amor.

Uma boa romaria a todos.

Padre Gilnei Fronza

Reitor Santuário Diocesano de Nossa Senhora de Caravaggio