É da cidade de Carlos Barbosa o ganhador da casa pré-fabricada que foi sorteada no final da tarde deste sábado, 24, no Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio. Licerio Dalcin foi uma das 20 mil pessoas que contribuíram com a compra de rifas da casa para angariar recursos para o Hospital Beneficente São Carlos.

 

 

 

A moradia foi doada pelo Grupo Feltrin e a organização e coordenação da ação foi do Grupo Voluntárias da Saúde, que há três anos realiza atividades para captar fundos para a casa de saúde do município.

 

A campanha iniciou no dia 26 de maio, junto com a 139ª Romaria de Nossa Senhora de Caravaggio. De acordo com uma das integrantes do grupo Voluntárias da Saúde, Lurdes Refosco, a ação começou inicialmente com dez mil números disponibilizados.

 

No entanto, com o aumento da procura, foi acrescido mais um lote de cinco mil números, e, na sequência, mais um na mesma quantidade.

 

O valor arrecadado com a venda de todos os números de R$ 500 mil, que serão destinados integralmente ao Hospital Beneficente São Carlos.

 

O ato do sorteio foi realizado pelo artista Alexandre Batisti, com o apoio do  reitor do Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio, padre Gilnei Fronza, e contou com a presença de diversas autoridades, empresários e comunidade.

O sorteado, ao ser contatado por telefone, ficou surpreso e incrédulo

. Na segunda-feira, 26, o vencedor será contato para acertar os detalhes da entrega da casa.

 

O nosso Memorial dos Devotos de Nossa Senhora de Caravaggio (Ex-Votos) atesta que os maiores beneficiados de Nossa Senhora são os doentes. Desesperançados e aflitos, os enfermos depositam confiança filial na Virgem Maria e dela recebem auxílios extraordinários. Basta olhar as inúmeras fotografias, pequenos quadros, roupas, muletas e tantos depoimentos.

No caso de Caravaggio, na Itália, foram as curas realizadas à beira da fonte sagrada que atestaram a autenticidade das palavras de Joaneta. Por isso “Nossa Senhora da Fonte Milagrosa”. No ano da aparição (1432), foi colocada a primeira pedra para a construção de uma capelinha junto à fonte milagrosa, onde também foi construído um pequeno hospital para hospedar os numerosos enfermos que chegavam.

A fonte sagrada de Caravaggio, tanto na Itália como aqui em Farroupilha, evoca um título mariano muito usado, que está inclusive na ladainha de Nossa Senhora: “Maria, Saúde dos Enfermos”. É a bela relação entre Maria e Jesus, porque Jesus veio “para que todos tenham vida e vida em abundância” (Jo 10,10), então a Virgem Maria também intercede para que isso se torne realidade.

Na relação de Jesus com os doentes percebe-se a opção de Deus por aqueles que têm seus direitos negados. No encontro com os doentes, Jesus devolve-lhes a alegria de viver: não somente a cura, mas a dignidade. É isso que Nossa Senhora de Caravaggio também quer: vida plena e dignidade humana.

Isso tudo é muito bonito, porque nos recorda das coisas antigas e de Deus, mas é também uma grande responsabilidade para o presente e para o futuro de todos os que são seguidores de Jesus e devotos de Nossa Senhora de Caravaggio. A Virgem Maria nos ajuda a também nós cuidarmos dos doentes a partir de seu exemplo: generosidade, dedicação, compreensão, caridade, solidariedade, confiança e esperança.

Por isso também essa ação concreta para com o nosso Hospital Beneficente São Carlos, de Farroupilha, fundado em 1934. Por cerca de 14 anos (1975-1989) foi dirigido pela Mitra Diocesana de Caxias do Sul. Mas antes disso, quando ainda era denominado Sanatório Nova Vicenza, por muitos anos foi dirigido pelas Irmãs Missionárias de São Carlos. As próprias irmãs também se dedicavam à cura das feridas internas e externas dos pobres enfermos.

Parabéns aos que vieram antes de nós e construíram este hospital. Parabéns também àqueles que ampliaram esta obra em benefício de tantas cidades e inúmeros enfermos. Parabéns às Voluntárias da Saúde e a tantos que, hoje e amanhã, se dedicam a dar mais dignidade à pessoa humana. É Jesus Cristo que se revela no rosto do pobre, no rosto do enfermo e do doente. É Ele que nos dirá “estive doente e fostes me visitar, estive doente e cuidastes de mim, estive doente e cuidastes do hospital que cuidou de mim”. O cuidado para com o hospital é o cuidado para com quem trabalha nele ou dele faz uso, é o cuidado para com o ser humano, criado a imagem e semelhança de Deus.

Ainda temos um longo caminho a percorrer.