Inspirado na Carta Encíclica Laudato Si’, do Papa Francisco, sobre o cuidado da casa comum, o lema “A grandeza e a beleza da criação fazem contemplar seu Criador” foi refletido durante todas as celebrações da 119 Romaria Votiva.

 

 

   

Tanto as missas celebradas nas comunidades da Paróquia Santo Antônio, de Forqueta (Caxias do Sul), quanto as realizadas no Santuário, envolvendo as Paróquias de Farroupilha, Nova Roma do Sul e Pinto Bandeira, foram oportunidade de se rogar a Deus a bênção sobre os agricultores e seus trabalhos.
As Santas Missas do dia 2 de fevereiro foram também um verdadeiro privilégio para tantos devotos, muito especialmente a Missa Solene, presidida pelo Bispo Diocesano, seguida de procissão e bênção das máquinas agrícolas.
O ato conclusivo da 119 Romaria Votiva ocorreu na Missa das 17h do Domingo, 3 de fevereiro. Como as capelas que compõem a Paróquia N. Sra. de Caravaggio foram homenageadas no carro-andor com pequenas igrejas, símbolo das comunidades, representantes das mesmas comunidades receberam esse símbolo, sinal de unidade com o Santuário e agradecimento pela generosidade de tantas famílias. Os produtos ofertados pelos agricultores foram agora doados a algumas instituições de caridade e os produtos expostos no carro-andor foram repartidos entre os devotos que participaram da Missa.
O Santuário de Caravaggio agradece a Deus pela valiosa proteção da Virgem Maria ao longo de todos esses anos. Gratidão aos que doaram de seus produtos e também aos voluntários que dedicaram seu tempo e esforço para a preparação e realização dessa Romaria, tanto nas noites da novena, como no dia da festa. Deus recompense a dedicação dos devotos de Nossa Senhora de Caravaggio.

 

História da Romaria Votiva

 

Toda a primavera e o verão de 1898 foram implacáveis com nossos agricultores, devido a seca e associadas às dificuldades daqueles primeiros tempos; mas, a vontade de vencer é que tudo transformou.

No início de 1899 foram convidadas as pessoas para virem em romaria (a pé, cavalo, carroça) até a Igreja Nossa Senhora de Caravaggio.

 

  

 

Era o dia 02 de fevereiro. Num gesto de fé, reconhecimento e confiança vieram de Nova Vicenza (Farroupilha), Caxias do Sul, Nova Roma do Sul, Nova Trento (Flores da Cunha), Bento Gonçalves e Nova Pompeia (Pinto Bandeira). Estava atendendo a Paróquia, o padre Francesco de Cicco, até julho daquele ano. Todos foram acolhidos, cada qual recebeu o Sacramento da Reconciliação e participou da Santa Missa das 10h. Durante a missa uma pequena nuvenzinha e meia hora depois a torrencial chuva em socorro da sedenta humanidade, os que vieram pisando pó, voltaram pisando barro. À tarde, rezavam o terço e cantavam as ladainhas, para retornarem a suas casas. A prece sofredora dos devotos chegou ao céu e foi atendida; a agricultura que parecia ter perdido tudo, renovou a esperança. No ano de 1902 o padre Henrique Poggi, e os paroquianos de Caravaggio, fizeram o voto de recordar o sinal. E, desde então, se faz, anualmente, esta Romaria.