Desde que lançado em maio deste ano, o roteiro turístico Caminhos de Caravaggio – que liga os dois Santuários em homenagem a Nossa Senhora de Caravaggio, em Canela e Farroupilha – é desbravado por romeiros ansiosos pela experiência que une religiosidade, aventura e superação. O Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio de Farroupilha foi o ponto de chegada no domingo (23) de duas mulheres que percorreram os 200 quilômetros superando qualquer condição climática desfavorável ou o cansaço que longas caminhadas tornam consequência. São elas as empresárias Bruna Barbieri, 24 anos e Maria Inês Cavalli, 52 anos, moradoras de Gramado .

 

 

 

Tia e sobrinha começaram o percurso ainda na segunda-feira (17) ao sair do Santuário de Canela. Por sete dias, a fé em Caravaggio serviu de combustível para que bolhas nos pés, exaustão, sono ou cansaço pudessem ser driblados. Passaram por estradas de chão e de asfalto, subidas e descidas íngremes e, claro, paisagens deslumbrantes. “E quem nos deu muita força para seguir em frente, também, foram as pessoas das comunidades que passamos. Todos se esforçaram para que nos sentíssemos em casa”, conta Bruna.

 

 

Houve quem não deixou as gurias seguir viagem sem experimentar um almoço, quem serviu um copo de água ou quem só destinou palavras de apoio: todos foram essenciais para que cada passo dado pelas gurias tivesse ainda mais sentido. “Encontramos algumas igrejas abertas no caminho, mas descobrimos que, na verdade, as pessoas são a Igreja. Isso porque todos abriram a porta de casa para nós, foram acolhedores, mostraram que tudo valeria a pena”, explica a jovem empresária.

A dupla intercalou ritmos mais intensos com caminhadas mais ponderadas, já que oscilaram a quilometragem entre 20 ou até 36 quilômetros diários. “Quando tivemos a ideia de fazer a caminhada, algumas pessoas nos diziam que não íamos conseguir, que era muito difícil. Mas eu sabia que Caravaggio me daria forças para seguir em frente”, lembra Bruna. Ao chegar no Santuário de Farroupilha no domingo, as lágrimas de dor deram espaço ao choro de felicidade, orgulho e amor, que simbolizaram a missão cumprida pela dupla.

Bruna e Maria provaram que a força feminina ganha nuances mais intensas ao estar relacionada intimamente à fé – e a dupla já ambiciona participar do Caminhos de Santiago de Compostela, entre a França e a Espanha.