A comunidade da Serra Gaúcha é convidada a fazer parte de um momento religioso bastante importante: será neste domingo, 8 de setembro, às 15h30min, a posse de Dom José Gislon, novo bispo da Diocese de Caxias do Sul. A cerimônia ocorrerá na Catedral Diocesana de Caxias do Sul, e ocorre em meio ao aniversário de 85 anos da Diocese. Dom Alessandro Ruffinoni, que atualmente responde pela Diocese será o novo bispo emérito de Caxias. Junto a ele, está também Dom Paulo Moretto. Dom Gislon chega a Caxias vindo da Diocese de Erexim, ligado ao município gaúcho de Erechim. Em julho, ele visitou o Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio e teve o primeiro encontro com padres da Diocese caxiense. Foi no Santuário o primeiro contato com a equipe que trabalhará junto com ele nos próximos anos.

 

Dom Gislon é catarinense, tem 62 anos e foi nomeado bispo pelo Papa Bento XVI em junho de 2012. Entre tantas impressões que o religioso já sustenta do povo da Serra Gaúcha, ele encontra uma familiaridade: a formação da cidade de Erechim, onde atua há sete anos, e de municípios serranos têm, em comum, a forte influência da colonização italiana.

Além deste encontro ocorrido em julho deste ano, Dom José Gislon já peregrinou ao Santuário de Caravaggio de Farroupilha quando foi ordenado padre, em 1988, e se identifica como um religioso cujo compromisso está fortemente ligado às questões que envolvem minorias, como idosos e crianças. Acredita que seu trabalho na Serra precisa ser reflexo do que o Papa Francisco ensina: uma igreja em saída, que se aproxime da comunidade e evangelize em cada gesto.

 

Veja algumas frases ditas pelo novo bispo da Diocese de Caxias do Sul, e participe da cerimônia de posse!

 

“A sede do povo de Deus de não se sentir só, de ser amado, é saciada na presença materna da figura de Maria. Ela é um consolo muito grande”.

“A vida da mulher é a origem da vida. Se olharmos as comunidades, temos como maiores protagonistas justamente elas. É preciso criar esta nova mentalidade em casa, na escola, na igreja e dar um grande passo pelo fim da violência. A violência feminina é reflexo de todo contexto de violência que segue nas camadas mais e menos abastadas da sociedade”

“Na verdade, todos somos peregrinos e estamos de passagem. Quando vamos em peregrinação, peregrinamos para dentro da gente, para nosso eu que nos coloca junto de Jesus. O Santuário é um lugar de encontro e reencontro. Conosco mesmo e com nossa brevidade. Jamais deixem de tirar um tempo para a escuta de Deus, peregrinos”.

“ Não estamos sozinhos. A ternura materna está presente na nossa vida, e a força do Pai cuida de nós. Amém”.

 

 

 

Leia também….

Defensor da igreja, dos idosos e peregrino de Caravaggio: conheça Dom José Gislon, novo bispo de Caxias do Sul