A cerimônia de posse ocorreu neste domingo, 8 de setembro, na Catedral Diocesana. Ele é o quinto bispo da história da Diocese. Fieis, padres, religiosas e bispos de todo o Estado lotaram a Catedral para acompanhar de perto este momento emblemático para a comunidade católica da Serra Gaúcha. A data também marcou o aniversário de 85 anos de criação da Diocese de Caxias do Sul. Com a troca, Dom José Gislon, que atuava na cidade de Erechim, assume no lugar de Dom Alessandro Ruffinoni – aos completar 75 anos, Dom Alessandro enviou sua renúncia, medida protocolar ao Código de Direito Canônico da Igreja.

 

 

Em seu pronunciamento, o novo bispo citou que a Diocese de Caxias do Sul tem uma marca muito forte, vinda de berço dos antepassados, das famílias que aqui vieram, da cultura italiana, mas também da polonesa, alemã e outras. “Então isso foi que deu impulso a todo o contexto da Serra, essa é uma realidade, depois nós temos uma segunda realidade que apareceu nos últimos anos, que é a migração. A nossa realidade aqui da Serra, recebeu muitos migrantes de várias regiões do Rio Grande do Sul, de outros estados e países. Todo esse povo precisa ser olhado e cuidado com carinho, também é povo de Deus, que aqui chegou tentando fazer uma caminhada de vida”, citou.

 

Fotos: Mariana ávila

 

Dom Gislon acredita que os valores transmitidos na família permeiam a formação de caráter do ser humano – e são inesquecíveis na trajetória de cada um. Para ele, os primeiros catequistas são os pais e os avós.

“Eu defendo que os pais também falem de Deus para seus filhos, falem e transmitam os valores cristãos”, comentou. O lema do bispado é “Amar e servir na caridade”: assim, Dom Gislon afirma que pretende guiar a Diocese com muita proximidade com as pessoas, principalmente com os mais necessitados.

 

 

Fotos: Mariana Ávila