A religião precisa, sobretudo, ser uma ferramenta de paz, união e harmonia entre os povos, independente de crenças. Há 18 anos, um ato que une culturas ocorre nos arredores do Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio no mês de janeiro. Isto porque é celebrada uma missa para o povo cigano no dia de São Gonçalo do Amarante, Santo dos Ciganos, cuja data votiva é 10 de janeiro.

 

 

 

Por isso, na última sexta-feira (10), a equipe do Santuário migrou para o acampamento cigano e rezou uma celebração com a alegria típica das cerimônias ciganas: reza, cantoria, músicas e danças para homenagear São Gonçalo. “Os filhos se reúnem de todos os lugares para cumprir o voto do patriarca Benedito, quem trouxe a tradição. A tradição perdura”, avalia o reitor do Santuário de Caravaggio, padre Gilnei Fronza.

 

De acordo com o padre, o hábito de celebrar esta data com o povo cigano iniciou há quase 20 anos pelo casal Benedito e Joana, ambos ciganos. A pedido de Dom Paulo Moreto, os festejos passaram a ocorrer sempre no Santuário.