O badalar dos sinos próximo das 18h avisava: as romeiras Manuela Onzi, 24 anos e Daiana Maciel Cezar, 35, haviam percorrido o roteiro Caminhos de Caravaggio e chegado ao destino final. Foi por volta deste horário que as duas professoras despontaram na Avenida dos Romeiros, naquele que foi o último trecho dos exaustivos 200 quilômetros. Tiveram a companhia de familiares na chegada, que aconteceu no final da tarde de 30 de julho, terça-feira. Difícil conter o choro diante de tanto esforço físico, claro, mas as lágrimas rolaram também porque os momentos que a dupla viveu nos últimos cinco dias envolveram superação em cada etapa. Afinal, a marca que elas bateram é admirável: foram 200 quilômetros em cinco dias.

 

 

“Conhecer o roteiro faz a diferença na vida da pessoa. A gente percebeu e aprendeu, enquanto caminhava, muitas coisas. A gente percebeu que a riqueza só é bonita para os olhos, porque para o coração, ela não é. A gente aprendeu que quem planta, colhe. Foram diversos aprendizados e recomendamos a todos este caminho”, lembra Manuela. “Teve momentos que a gente nem conversava, mas aquilo fazia tão bem. Para mim e para ela”, acrescenta Daiana.

 

 

Moradoras de Farroupilha, as duas aproveitaram o recesso escolar para colocar em prática a ideia. Concluir a caminhada não foi tarefa fácil: houve machucado no pé, dificuldade para andar e exaustão de quem chegou a percorrer quase 40 quilômetros por dia. Tudo isso valeu a pena, avaliam as gurias, que receberam certificado e puderam acionar o Sino do Peregrino na chegada ao Santuário Diocesano de Farroupilha.